O Brasil tem um dos maiores mercados consumidores do mundo, que consomem mesmo diante de crise financeira .
Por isso, dispensar um tratamento de qualidade ao cliente, e sobretudo, respeitar seus direitos, conforme dispõe o Código de Defesa do Consumidor, é fundamental.

Cerca de 61% dos consumidores preferem o melhor atendimento em detrimento do menor preço.

Infelizmente, boa parte dos fornecedores não têm conhecimento e compreensão dos direitos do consumidor e falham no atendimento do cliente, com a prestação de serviços ineficientes, adoção de práticas ilegais e abusivas e vendas irregulares.Em contrapartida, o consumidor tem acesso à Justiça cada vez mais facilitado.
Para mudar esse cenário, a premissa principal do fornecedor deve ser a harmonia das relações de consumo, procurando evitar conflitos e resolver pendências fora do Judiciário.

Como nem sempre é possível a todos os fornecedores manter um departamento jurídico interno, que possa auxiliar a qualquer tempo para qualquer demanda, de forma imediata, é fundamental propiciar aos seus funcionários treinamentos constantes com pessoas especializadas em direito do consumidor, além de investir em workshops e consultorias sempre que necessário.